Ovelhas Incandescentes

Ovelhas Incandescentes

Páginas

quarta-feira, 8 de fevereiro de 2017

A Fila Anda... de Livros!

Sabe aquela piada "agora só vou comprar livros depois que ler todos os que tenho aqui"?
Então, sou dessas.
Quer dizer... sou dessas que sabe que isso aí é, mesmo, uma piada. =)

Eu tenho uma boa fila de livros aqui.
Cada um esperando, pacientemente, a sua vez de ser lido.

Aí eu vejo mais um que quero ler e penso:

- "Ah, já vou comprar, né? Aí já está aqui quando eu terminar os outros".

E a fila cresce que é uma beleza... =)
Fora os que furam a fila.
Estava em algum lugar e alguém me deu, minha irmã achou que eu poderia querer um esquecido na casa dela, a tia de um amigo estava desapegando alguns e ele lembrou de mim... e assim vai.

Mas uma das metas de 2017 é ler mais, botar essa fila pra andar.
E como eu tenho o costume de ler mais de um por vez... aí vão "lido" e "lendo" do momento. =)



A história é fantasiosamente infantil ou vice-versa.
Dizem que tenho paladar infantil, mas eu tenho também um gosto literário infantil.
Alguém lembrou que tem o filme?
Então, o filme é só um docinho, porque são 5 livrinhos-delícia para vocês (que gostam desse tipo de livro) se divertirem.
Eu amei!



Depois de ler "Cem Anos De Solidão", fiquei chocada (no bom sentido) com esse escritor.
Já tinha ouvido falar muito sobre ele e os livros dele, e tinha chegado na conclusão de que eu poderia até não gostar do livro ou do estilo, mas eu não poderia morrer sem ler.
Ainda estou lendo, está meio cansativo, mas está muito bom.



Faz o estilo do primeiro livro que falei aqui: "fantasiosamente infantil ou vice-versa".
E eu gosto muitíssimo desse gênero... "infanto-juvenil-fantástico-regianístico". =)
E eu amei!

Stephen King (Meu Amado!)


Então... esse é um dos que estão na fila há uns anos... =)
E sabe, né? Stephen King é Stephen King, ponto! =)
Estou gostando bastante!

Prosseguindo com os que ainda estou "lendo", arrumando mais alguns... coincidentemente (ou não), o segundo volume de "As Crônicas de Spiderwick" chegou hoje pra mim (só faltava ele na coleção), e sinto que começarei hoje mesmo.

Incandesçam!
=)

domingo, 5 de fevereiro de 2017

RHA - SP 24/12/16

Às vezes, quero bater com a minha cabeça na parede.
O coração não é burro.
O cérebro é que é.
A gente sabe o que tem e o que não deve fazer.
Mas colocar isso na prática é... melhor de três.
E ainda assim... você erra todas.

RHA
(S. Paulo, 24/12/16)


sábado, 4 de fevereiro de 2017

Volta, resolve, depois vai!

Sabe aquela frase de "só se esquece um amor com outro amor"?

Mentira!

Isso é uma cagada que você faz na sua vida (porque botar uma pessoa no lugar de outra não vai te ajudar a esquecer ninguém) e na vida de outra pessoa (porque essa outra vai estar com você porque gosta de você, só que você não gosta dela).

Resolve seus problemas antes de mexer com quem não tem nada a ver com eles.

Até para uma "ficadinha amigável", a gente tem que pensar um pouco de forma racional.

Primeiro, não é porque é "amigável", sem compromisso, que tem que ser uma coisa tosca e fria.
Ser carinhoso(a) não é defeito nem sinal de problemas, nem sinal de nada.
É bom!
E tem que ser bom!

Segundo, você tem que ser bem-resolvido(a) com isso.
Não vai com fantasmas do passado ou querendo compensar uma coisa com outra.

"Ah, sempre fui santa(o), sempre fiz tudo direito, agora vou passar o rodo".

Ok, aí você vai... e não é tão legal quanto você pensou que seria.
Aí você vai de novo e... ok.
Mais uma vez e... tá bom.

Olha, talvez, você não esteja mais no momento de "rodar a banca".
Talvez, esse seu momento já tenha passado.
Acontece.
Não tem nada de errado nisso.

Pensa bem se é isso mesmo que você quer.
Não se preocupe se você descobrir que não é.
Não tem nada de errado nisso.

Porque o que também acontece é a gente perceber que a coisa não está legal, não está fluindo, não está correndo como deveria... e continuar insistindo nela porque queríamos que tivesse dado certo.
Queríamos que tivesse acontecido, queríamos dar aquela "rodada".

Mas não deu... e se não deu... pode ser que não era para dar, mesmo, ou pode ser que alguma coisa foi errada no meio do caminho.
Alguma coisa que você não aceitou, não resolveu...

Volta, resolve seus problemas, depois você pensa se é isso mesmo que você quer.
Se é desse jeito que você quer.
Se você, realmente, quer.

E se "não"... tudo bem.
Não tem nada errado nisso e você não tem que provar nada.
Nem para ninguém, nem para você.