Ovelhas Incandescentes

Ovelhas Incandescentes

Páginas

sábado, 4 de fevereiro de 2017

Volta, resolve, depois vai!

Sabe aquela frase de "só se esquece um amor com outro amor"?

Mentira!

Isso é uma cagada que você faz na sua vida (porque botar uma pessoa no lugar de outra não vai te ajudar a esquecer ninguém) e na vida de outra pessoa (porque essa outra vai estar com você porque gosta de você, só que você não gosta dela).

Resolve seus problemas antes de mexer com quem não tem nada a ver com eles.

Até para uma "ficadinha amigável", a gente tem que pensar um pouco de forma racional.

Primeiro, não é porque é "amigável", sem compromisso, que tem que ser uma coisa tosca e fria.
Ser carinhoso(a) não é defeito nem sinal de problemas, nem sinal de nada.
É bom!
E tem que ser bom!

Segundo, você tem que ser bem-resolvido(a) com isso.
Não vai com fantasmas do passado ou querendo compensar uma coisa com outra.

"Ah, sempre fui santa(o), sempre fiz tudo direito, agora vou passar o rodo".

Ok, aí você vai... e não é tão legal quanto você pensou que seria.
Aí você vai de novo e... ok.
Mais uma vez e... tá bom.

Olha, talvez, você não esteja mais no momento de "rodar a banca".
Talvez, esse seu momento já tenha passado.
Acontece.
Não tem nada de errado nisso.

Pensa bem se é isso mesmo que você quer.
Não se preocupe se você descobrir que não é.
Não tem nada de errado nisso.

Porque o que também acontece é a gente perceber que a coisa não está legal, não está fluindo, não está correndo como deveria... e continuar insistindo nela porque queríamos que tivesse dado certo.
Queríamos que tivesse acontecido, queríamos dar aquela "rodada".

Mas não deu... e se não deu... pode ser que não era para dar, mesmo, ou pode ser que alguma coisa foi errada no meio do caminho.
Alguma coisa que você não aceitou, não resolveu...

Volta, resolve seus problemas, depois você pensa se é isso mesmo que você quer.
Se é desse jeito que você quer.
Se você, realmente, quer.

E se "não"... tudo bem.
Não tem nada errado nisso e você não tem que provar nada.
Nem para ninguém, nem para você.

Nenhum comentário:

Postar um comentário