Ovelhas Incandescentes

Ovelhas Incandescentes

Páginas

terça-feira, 30 de julho de 2013

Da janela lateral...

Sentou-se na varanda.
O sol batia nos seus pés.
Estava um dia lindo. Frio, mas com sol.
O vento balançava as plantas mais altas.
Uma joaninha pousou na janela. Sinal de boa sorte. Coisas boas vêm aí.
Ia começar um novo livro. Um da Jane Austen, desta vez.
Resolveu fitar o céu por um momento.
Era um dia muito lindo. Não se recusou àquela reflexão.
Deitou a poltrona, encostou, fitou o céu mais uma vez e fechou os olhos.
Pensou nos pais, na família, nos amigos. Estavam todos do outro lado do hemisfério.

Saudades, sim.
Tristeza, nunca.

O mundo girava a seu redor, devagar e sempre.
Tudo era perfeito.
Abriu os olhos e começou a ler.
Logo mais encontraria os amigos para a pizza da semana.
Longe de tudo, longe de você.
A felicidade corria pela casa.
Felicidade não requer barulho nem aglomerações.
Estava ali e estava feliz.
Não precisava de nada nem de ninguém para ser feliz.
Só precisava estar ali.

domingo, 28 de julho de 2013

Eu li 'A Abadia de Northanger'

A Abadia de Northanger (Northanger Abbey)
Jane Austen
Edições Best Bolso

Catherine Morland é uma garota de dezessete anos que prefere as brincadeiras de menino às de menina e leva nenhum jeito para as tarefas impostas às mulheres. Mora com sua família e seus muitos irmãos em um vilarejo em Wiltshire (Inglaterra).
O Sr. e a Sra. Allen, amigos de sua família, a convidam para uma viagem a Bath, e ela aceita com alegria.
A vida em Bath é repleta de atividades e Catherine faz grandes amizades. Apesar da inconveniência de alguns, sua estadia em Bath é bastante feliz e, para melhorar, uma de suas amigas, a Srta. Eleanor Tilney, a convida para passar uma temporada em sua residência, A Abadia de Northanger.
Catherine está radiante em conhecer e ainda ser hóspede em uma abadia. Cada dia é maravilhoso e a companhia de seus amigos, Eleanor e Henry, tornam seus dias ainda melhores.
Mas isso está prestes a acabar, pois Catherine é praticamente expulsa da abadia pelo Capitão Tilney, pai de Eleanor e Henry.
Sem saber o porquê, Catherine se vê obrigada a deixar a abadia no dia seguinte, sem qualquer explicação de Eleanor ou do chefe da família Tilney.

Minha Opinião!
Gostei! Confesso que antes eu tinha certo preconceito com Jane Austen por achar que suas histórias eram muito azaradas para o lado das mulheres. Mas deixei de ser tonta, li um livro 'parodiado' de um livro de Jane Austen (Orgulho e Preconceito e Zumbis), vi um filme inspirado no livro dela, mesmo (Orgulho e Preconceito), e mudei meus conceitos.
Outro motivo para gostar de suas histórias é que elas têm sempre começo, meio e fim, o que muito me agrada. =]

É isso, gente boa!
Incandesçam!

terça-feira, 23 de julho de 2013

O Papa é Pop... e a humanidade ainda tem muito o que aprender!

Bem-vindo, Papa Francisco!
A notícia da semana é a vinda do Papa ao Brasil.
Como disse em postagem anterior, sou batizada na igreja católica, mas não sou praticante.
Tenho muito amor e respeito pelo Catolicismo, mas decidi não adotar uma religião.

Sabe, eu entendo que a vinda do Papa pode não agradar a todos e pode não mudar a vida de muita gente, mas o que muita gente chama de saco, eu chamo de respeito. E, de fato, para sermos respeitados temos que ter saco e respeitar os outros, também.

Tenho visto muitos comentários criticando as pessoas que estão felizes e emocionadas com a vinda do Papa.
Ok, vocês que gostam de criticar a felicidade das pessoas que gostam do Papa, vocês que acham que estão muito certos em julgar o que é ou não motivo para felicidade, vocês não são obrigados a gostarem, mas acordem e pensem um pouco (não precisa ser muito, só um pouco já está bom), vocês também podem gostar e se emocionar com coisas que ninguém dá a mínima.

Se você acha um saco ou qualquer outra coisa negativa sobre quem está feliz com o Papa, tudo bem, é um direito seu. Mas pare de criticar e xingar, porque da mesma forma que você demonstra sua felicidade por certas coisas, as outras pessoas também fazem isso e têm o mesmo direito que você.

A felicidade é só de quem sente ou de quem pode entender isso porque também tem seus momentos felizes.
Infelizmente é comum pensar só nos próprios interesses, no próprio mundinho, mas se você tem um mínimo de inteligência e bom senso, pare de criticar a felicidade alheia e dê mais valor à sua própria felicidade.

Sabiamente, alguém disse: Gente feliz não enche o saco.
Eu acrescento uma coisinha: Gente feliz não enche o saco, não julga, não critica e não se acha melhor do que ninguém.

Só porque ver o Papa não faz parte da sua lista de felicidades, não quer dizer que não faça parte da lista dos outros. E também não quer dizer que sua lista seja melhor ou mais importante.
Quando você estiver feliz por algum motivo... alguém estará prontinho para dizer: Grande merda!
Quando isso acontecer, tenho certeza que você não vai gostar e vai querer respeito também. O mesmo respeito que você não se deu ao trabalho de dar quando se tratava de algo sem importância para você.

Incandesçam!

segunda-feira, 22 de julho de 2013

Esclarecimentos Sobre Crenças e Religiões

Isso aconteceu no facebook, mas acho válido colocar aqui também para maiores esclarecimentos e para quem não me conhece muito bem, conhecer um pouco mais além do meu lado pagão.

Há alguns dias eu publiquei essa foto no facebook:
Infelizmente, algumas pessoas entenderam como um ataque ao catolicismo, talvez, pelo fato de ter a palavra 'missa'.
Achei melhor esclarecer a situação e acabar com qualquer mau entendido.

Missa, embora tenha outros nomes em outras religiões, não é uma palavra que se limita ao catolicismo. Posso esta errada, pelos significados que o dicionário dá para a palavra 'missa', no entanto, pessoas de outras crenças e religiões também chamam de 'missa' seus encontros e celebrações religiosas.

Embora a imagem tenha dito MISSA, o que ela quis dizer é que não adianta a pessoa ser religiosa, ir regularmente aos seus cultos (ou missas, ou encontros, reuniões, giras, etc.), encher a boca para falar de Deus e se mostrar religiosa... e maltratar animais ou ser conivente com isso.
Não adianta se mostrar uma pessoa politicamente correta e temente a Deus... e ser do tipo que critica, julga, maltrata os outros, inclusive os animais.

Infelizmente, existe muita gente assim. E de todas as religiões, porque gente ruim e gente boa existe em todas as religiões. E tenho certeza que cada pessoa que ler isso aqui conhece pelo menos uma ou duas pessoas como essas, que mal sai da igreja (seja lá qual igreja for) e já está falando mal de alguém. Julgando, criticando e querendo o mal de pessoas e animais.

A imagem se refere a isso, e não a um ataque ao catolicismo.

Eu jamais falaria mal de uma religião, muito menos do catolicismo, religião na qual fui batizada e, embora não seja uma praticante, tenho muito amor e muito respeito.
Uma religião muito injustiçada por conta de cagadas que pessoas fizeram e ainda fazem em seu nome, aliás, o que acontece em todas as religiões: Cagadas de pessoas que usam a religião e a igreja (seja qual for) para justificar e acobertar seus podres.
Infelizmente, gente ruim e gente boa existe em qualquer religião. E eu não julgo uma religião ou crença por seus adeptos ou supostos adeptos.

Da minha parte, a quem tiver o interesse de saber, eu sou uma pessoa de muitas crenças e muitas religiões, porque na minha opinião, o mundo é muito grande para se ter uma única verdade absoluta. E após conhecer algumas crenças e religiões, por escolha própria, decidi não me vincular a nenhuma exclusivamente, porque todas, para mim, tem uma parcela de verdade, bem como coisas que acredito ou posso não acreditar.

Vocês me verão muitas vezes publicando fotos ou frases sobre Hinduísmo, Orixás, São Jorge, Lei da Atração, Kardecismo, pois são crenças e religiões que acabei por ter maior afinidade, mas nunca me verão criticando ou julgando esse tipo de coisa, mesmo que a crença/religião não seja minha.

Obs. Continuo sem meu notebook. =/
Incandesçam... e respeitem sempre!

quinta-feira, 18 de julho de 2013

Ausência temporária!

Gente... é com muita tristeza que digo: meu computador se recusa a ligar.
Não sei o que é, a HP não tem Assistência Técnica (só para equipamentos em garantia), e vou ter que caçar um técnico ou algo parecido que possa ver o acontece. 
Aliás, quem souber de alguém de confiança em São Paulo, região central, Barra Funda, Paulista, etc., me avisem.
Quero saber se tem salvação ou se, pelo menos, consigo recuperar o conteúdo.
Até lá... estarei ausente, mas podem falar comigo via e-mail.
Incandesçam!

domingo, 14 de julho de 2013

Eu li 'A Livraria 24 Horas do Mr. Penumbra'

A Livraria 24 Horas do Mr. Penumbra (Mr. Penumbra's - 24 Hour)
Robin Sloan
Editora Novo Conceito

Clay Jannon é mais um desempregado em busca de um emprego na área, mas chega um momento em que até um emprego fora da área também serve.
Andando pelas ruas, se depara com uma placa na vitrine de uma livraria que está precisando de atendente para o turno da noite.
A livraria praticamente não tem movimento, exceto por um pequeno grupo de senhores que pegam livros emprestados de uma seção bastante restrita.
Clay decide fazer um site para a livraria e, ao cadastrar os livros e registros, descobre estranhas combinações que revelam uma misteriosa identidade.

Minha opinião!
Não gostei e será desapegado em sorteio! =]
Agora limito-me a falar apenas que não gostei (quando não gostei), sem maiores detalhes, para não ofender quem gostou.

sábado, 13 de julho de 2013

Respondendo uma indicação!

Fui tageada pela querida Ana Paula do blog 'Ana Paula Make'.
Meu blog não é voltado à maquiagem, mas vamos lá.

1 - Por que escolheu o nome do blog?
Ah... essa eu já respondi aqui. =]

2 - Blogar é sua profissão, se não é, seria?
Não, mas poderia ser. Só não sei quem me pagaria para isso.

3 - Qual o produto que você mais tem dificuldade em fotografar? Por quê?
Nenhum, tiro fotos de coisas minhas, mesmo.

4 - Tem algum produto que mais gosta de resenhar?
Livros! =]

5 - Você usa algum recurso de edição nas fotos?
Não, às vezes só dou uma clareada.

6 - Qual câmera você usa?
Do meu celular Nokia.

7 - Qual a maior dificuldade com o blog?
Não sei.

8 - Qual o maior reconhecimento que o blog te trouxe?
Conhecer pessoas ótimas.

9 - O que mais te irrita na Blogosfera e o que mais te encanta?
Gente que se acha melhor que os outros, gente que não responde quando você faz alguma pergunta.

10 - Como lidar com o Ctrl+C, Ctrl+V de alguns blogues? Já aconteceu de roubarem fotos e conteúdo?
Que eu saiba, nunca aconteceu. Mas é uma falta de criatividade e caráter muito grande.

11 - Quais blogues mais gosta?
Ai... são tantos.

12 - Deixe uma dica para quem está começando.
Faça o que você gosta, o blog é seu!

É isso, gente linda!
Incandesçam!
=]

quinta-feira, 11 de julho de 2013

Atire a primeira risada de deboche...

Atire a primeira risada de deboche quem nunca se imaginou vivendo dentro de sua série ou filme favorito.
Quem nunca se imaginou casado com aquela pessoa famosa que nem sabe que você existe
Quem nunca sentiu uma pontinha de inveja da vida alheia.

Atire a primeira risada de deboche quem nunca levou o personagem para a cama.
Quem nunca morou em sua mansão imaginária.
Quem nunca quis e imaginou ter poderes dignos de super-heróis.

Atire a primeira risada de deboche quem nunca, antes de dormir, fingiu viver em um mundo mágico, do tipo que tem castelos escondidos nas nuvens.
Quem nunca contou uma mentira para parecer mais interessante.
Quem nunca escondeu seu chocolate para poder comer sozinha(o), sossegada(o), sem ter que dividir com ninguém.

Atire a primeira risada de deboche quem nunca pensou que sonhar fosse coisa de criança... e descobriu, a duras penas, que quanto mais se cresce, mais se sonha.

domingo, 7 de julho de 2013

Eu li 'O Príncipe da Névoa'

O Príncipe da Névoa (El Príncipe de la Niebla)
Carlos Ruiz Zafón
Editora Suma de Letras

No ano de 1943, Max Carver é um menino de 13 anos que, fugindo da guerra, se muda para o litoral, às margens do Atlântico, com sua família.
Sua nova casa guarda segredos que Max não demora a descobrir, um deles é um estranho jardim de estátuas localizado nos fundos do terreno da casa.
Max e sua irmã, Alicia, logo fazem amizade com Roland, um garoto da cidade que mora com o avô, que foi o único sobrevivente de um naufrágio ocorrido em 1918.
Por ter sido o único sobrevivente do naufrágio, o avô de Roland, Víctor Kray, decide construir um farol, para que outras embarcações não passem pelo que ele passou, no entanto, há um outro motivo que Víctor não revela... e está relacionado ao mistério do jardim de estátuas da casa de Max.

Minha opinião!
Adorei!
Só um personagem, o gato (ninguém vai morrer com essa informação), que ficou meio perdido no meio da história. Não sei se ele volta nos outros livros, mas se ficar por isso mesmo, não ficou legal.
Pelo que soube, esse livro faz parte da 'Trilogia da Névoa', os outros livros são 'Luzes de Setembro' e 'O Palácio da Meia-Noite', só que ainda não achei o primeiro, não sei se já foi lançado, se acabou, mas acho que a editora não lançaria uma trilogia só com dois... espero que não.

sexta-feira, 5 de julho de 2013

Continue...

Talvez, o segredo seja viver como se estivesse tudo bem, tudo resolvido.
Mas é difícil fazer isso quando os problemas estão por aí, ao nosso redor.
As contas para pagar, um curso para fazer, alguém próximo que está doente ou você mesmo que pode estar.

Aí você vê uma pessoa feliz, passeando por aí, gastando dinheiro, sorrindo e tomando um sorvete. Fazendo coisas que você queria estar fazendo.
Aí você pergunta: - Por que não eu?
E você pensa: - Aquela pessoa é uma inútil, só faz coisas inúteis, como pode agradar? Como tantas pessoas podem gostar dela? Por que ela se dá bem?
Aí, você não se conforma com como aquela pessoa está tão bem e feliz, cheia da grana e fazendo coisas que você gostaria de fazer.

Você sabe que você é muito mais legal, inteligente, interessante, que você merece muito mais... e nada.
Você sabe de tudo isso e tem certeza de tudo isso, mas quem está bem, mesmo, é a outra pessoa.
Você... você continua aí levando sua vidinha, fazendo nada do que gostaria.

Seja como for, não desista.
Dê o seu melhor.
Acredite.
Lute.
Faça.
Dê o seu melhor. Porque colhemos sempre tudo aquilo que plantamos.
Incandesçam!