Ovelhas Incandescentes

Ovelhas Incandescentes

Páginas

segunda-feira, 22 de abril de 2013

Considerações...


Algumas pessoas só consideram um casamento se ele foi feito de forma legal no cartório.
Algumas pessoas só consideram a benção de Deus se o casamento foi feito na igreja.

Eu entendo, mas eu considero um casamento a partir do momento que o casal mora junto, porque nada define e decide mais um casamento do que a convivência diária.
Conviver diariamente, amar diariamente, superar diariamente, e aturar diariamente também.

Uma vez me chamaram para ir à igreja, 'ouvir o que Deus tem para mim'.

Eu não tenho nada contra, mas não preciso ir à igreja para ouvir o que Deus tem para mim.
Deus está comigo o tempo todo, vive em mim, fui feita à sua imagem e semelhança.
Eu não preciso de um fator externo para me comunicar a um fato interno.
Eu não preciso ir à igreja nenhuma para falar com Deus porque eu falo com Deus o tempo todo.

Quando acontece um crime e as pessoas querem linchar o criminoso, sempre tem alguém para citar os tais direitos humanos.
Ok, entendo, mas se alguém entrar na tua casa, roubar suas coisas, coisas que você pode ter levado a vida inteira para conseguir, você vai querer o quê? Falar para o criminoso que você entende a situação dele? Que tudo bem, você se matou para conseguir cada centavo, mas pode se matar mais para conseguir novamente, enquanto ele pode pegar à vontade?

Se alguém mata uma pessoa próxima a você, você vai falar o quê? Falar para o assassino que tudo bem?
Um humano perdeu o senso de humanidade a partir do momento que virou criminoso, então, os tais direitos humanos não servem para criminosos, e sim para humanos que muitas vezes trabalham sem direito algum, são escravizados e tratados como lixo.

Não venham com a balela de que ninguém tem o direito de tirar a vida de ninguém porque isso só serve quando visto pela televisão, porque se alguém matar seu pai, mãe, irmãos, filhos, amigos, qualquer pessoa que você conheça (ou não), o mínimo que você vai querer fazer é ter certeza que o assassino não oferece mais riscos à população, coisa que só cadeia não garante, convenhamos.

E eu é que não vou me lamentar porque o mundo perdeu um criminoso.
Falso moralismo nunca foi característica minha.
A quem discorda, respeito sua opinião, mas eu fico é muito feliz quando criminosos morrem, porque é um bandido/assassino a menos no mundo, um perigo a menos para as pessoas honestas e realmente humanas se preocuparem.

2 comentários:

  1. Ah eu casei só no cartório por motivos jurídicos mesmo... mas nem ligo pra esse monte de regra moralista...
    E nunca quis casar na igreja... acho tão demodê...
    Bjusss
    Flor tem post novo lá no blog com novidades da Mahogany.
    Confira http://www.ciadoesmalte.com/2013/04/sabonete-cremoso-lip-gloss-mahogany.html
    Beijo grande
    Ana Paula Franke

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ah, já fui lá. =]
      Eu bem queria entrar de noiva... e só. rs Se eu fizesse um casamento no religioso teria q ser muito ecumênico, então, prefiro não fazer.

      Excluir