Ovelhas Incandescentes

Ovelhas Incandescentes

Páginas

quarta-feira, 20 de março de 2013

Unhas... e outras filosofias

Esmalte Exótico (La Femme)
Não posto muitas 'unhas', mas esse esmalte é tão lindo e gostei tanto da foto que quis mostrar aqui também.

Hoje eu vejo meninas de 10 anos ou menos (ou aborrescentes também) que fazem as unhas na manicure.
Até acho isso 'interessante', mas eu não fui uma dessas meninas e acho isso mais interessante ainda, porque me ensinou a respeitar mais meus pais.
Não que o meu respeito seja somente por isso, com certeza, não!

Mas, de certa forma, me ensinou a não ser (e nem querer ser) do tipo que basta pedir e tem tudo o que quer. E que, para ter o que eu queria, eu deveria fazer por merecer e também correr atrás com minhas próprias pernas.

Que me desculpem as mães de meninas de 10 anos ou menos (ou aborrescentes também) que pagam para suas filhas irem à manicure, mas eu me sinto muito melhor sabendo que minha mãe não tinha dinheiro para isso nem gastaria dinheiro para isso, que se eu quisesse unhas pintadas, eu mesma teria que fazer, pois o dinheiro dela tinha outras prioridades.

Hoje, minha mãe às vezes paga para eu fazer as unhas, mas hoje eu mesma faço ou pago.
Porque mesmo que ela pague, é apenas um pequeno presente de mãe para filha.
A lição de fazer por merecer e ir atrás do que se quer, ela já me ensinou. E também me ensinou a não ser uma criança mimada, que acha que os pais têm a obrigação de dar para os filhos tudo o que querem... ou de fazer as unhas na manicure porque querem e porque sim.
E acho que posso dizer isso pela minha irmã também.
Obrigada, Mamãe!
Bem-ensinadas e bem-obedecidas. Sempre tivemos bons professores. =]

8 comentários:

  1. Concordo com tudo o que você falou. Nunca fui de frescurinha e sempre soube que se meu pai me dava alguma coisa era com muito sacrifício. Sempre dei muito valor a isso e sempre vivi a realidade daqui de casa. Até hoje eu evito pedir coisas aos meus pais porque sei que pode fazer falta em alguma outra coisa. :)
    Bjs!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é. Nada contra quem pode fazer isso, mas eu aprendi desta forma e sei q fui beneficiada por isso, pq conheço muitas meninas mimadas q hj são pessoas inconscientes em relação à vida, e td começa qnd os pais dão tudo aos filhos, inclusive, manicure paga desde cedo. Bjs e obrigada pela visita, Beatriz.

      Excluir
  2. Oi, Rê!!!
    Eu concordo com cada palavra sua. Eu, meu irmão e minha irmã, fomos criados da mesma forma. Você colocou muito bem a questão das prioridades, não que não pudesse fazer, mas tem coisas mais urgentes. Eu, aos 12 revendia 'Avon' e 'Daya', para a minha avó materna. Com a comissão eu comprava minhas coisinhas, minhas canetas perfumadinhas e tal (o vício da vida inteira). Depois, aos 14-15 fazia painéis, risco para bolo (ainda não tinha o famoso papel arroz impresso com tinta comestível) e decorava mesas infantis, isto começou fazendo para minhas tias nas festinhas de minhas primas menores, a 'fama' veio e eu 'fazia meu trocadinho' e de quebra, quando fazia o Curso Normal (agora Formação de Professores) final de semana eu atacava de manicure. Fora outras coiinhas que aprendia e engordava o orçamento (arte em papel vegetal, crochê...). Foi minha forma de estudar, e concluir, me formar sem trabalhar formalmente, assim me dedicava melhor aos estudos. Nunca pude 'ostentar' 'usar roupas de marca', tudo meu era contado, mas, sou grata, e feliz por aprender desde sempre a lutar por tudo. Meu marido foi criado da mesma forma.
    Hoje procuramos proporcionar o melhor em termos de educação para nossos filhos. Queríamos ter ido longe, mas não tivemos oportunidades. No caso deles sempre colocamos que é o que podemos deixar para eles, para vida deles. E aqui, até têm o que pedem, mas precisam fazer por merecer, conquistar. Meu filho fez 14 anos no último 12, e quer trabalhar conosco, como ele está concuindo o ensino fundamental e se preparando para a maratona (tentar escola técnica) expliquei a ele, que tudo ao seu tempo, a prioridade agora é estudar.
    As pessoas nos julgam pela estrutura que preferimos em casa, nos sacrificamos e abrimos mão de muitas coisas pela educação dos meninos, e é aí que entra a visão que vc tem das prioridades da sua mãe.A minha definitivamente não é casa cheia, festanças. Eu e meu marido prezamos o conforto dentro de casa, e é claro nossos momentos em família. Então as nossas grandes comemorações são entre nós mesmos, e à medida que podemos, ninguem endividado, por exemplo porque 'fulaninha' quer muito uma festa, por exemplo (e nos moldes da que a amiga 'ryca' teve!), pelamor!!!!
    Quero proporcionar tudo o que não tive para meus meninos, mas procuro ter em mente que não posso 'estragar', ou mesmo deixar de educá-los para a vida, quero criar homens honestos, justos, trabalhadores.
    Adorei seu post, querida...Cada vez mais te admiro e aos seus pais!
    Bjinhoo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois, Lelê. Eu aprendi assim e sou grata por isso. Teve coisas supérfluas q minha mãe me deu, sim, mas coisas q ela pode me dar e q não me estragariam futuramente.

      Excluir
  3. Aprovadíssimo. Concordo com cada palavra sua.
    Beijo

    ResponderExcluir
  4. Linda a cor mesmo!! Mereceu o post.
    Eu sempre pintava com cores clarinhas, ou só com base mesmo. Mas de uns 4 anos pra cá mudei totalmente. Hj uso de tds as cores... hahahaha! Mas não vou à manicure. Eu mesma faço... acho uma terapia... heheh!
    Bjns
    :)

    ResponderExcluir