Ovelhas Incandescentes

Ovelhas Incandescentes

Páginas

quinta-feira, 9 de dezembro de 2010

Não acomodar com o que incomoda!

Não podemos mudar as pessoas, mas podemos nos mudar. Nos mudar do emprego, do casamento, da faculdade, de qualquer coisa.
Nos mudar do jeito que somos, nos mudar dos amigos que temos, nos mudar da vida que levamos.
Às vezes, as mudanças vem primeiro. O emprego nos muda dele, o casamento nos muda dele, a faculdade não nos muda dela, mas parece que pede para a gente pegar nossas coisas e sair correndinho. Qualquer coisa pode se mudar da gente, antes que a gente se mude dela.

Dizem que alguns problemas de saúde estão relacionados ao nosso comportamento.
Problemas no intestino, por exemplo, estão relacionados à recusa em ter mudanças e não querer largar o passado. Não tenho porque não acreditar nisso e não sei sobre outros problemas de saúde, mas, esse, eu posso afirmar que está certo. Não, não se preocupe, eu não vou falar da minha relação com o banheiro, mas acho que não há problemas em dizer que hoje estou bem com ele e aceito de bom grado todas as mudanças que acontecem na minha vida.

Mudanças também ensinam muitas coisas e algumas você tem que aceitar, mesmo que não goste.
A gente sempre acha que pode mudar as pessoas, que vai ser diferente, que fulano(a) vai mudar. Às vezes, isso pode acontecer, mas da mesma forma, também pode não acontecer. E lamento, mas você terá que engolir isso. Você, eu e toda a torcida da Fiel.

Não podemos mudar os outros, mas podemos nos mudar. Portanto, se você não está satisfeita(o) com qualquer coisa na sua vida, aquele ditado cretino é muito válido: "Os incomodados que se mudem".
Mude. Você não tem que aguentar uma situação que não gosta. Você não tem que aceitar nada que não goste. E não confunda com o "alguém tem que ceder", que há em todo relacionamento. Tem coisas que temos que ceder mesmo, mas tem coisas que são inaceitáveis e você não precisa ser a exceção se não quiser, se mude!
* A frase "Não acomodar com o que incomoda" faz parte da letra "Criado-Mudo", da espetacular trupe "O Teatro Mágico".

6 comentários:

  1. Passando pra te dar os parabéns dizer que adorei o Post.
    Gosto do modo que você escreve e os temas, que são os mais diversos. !

    ResponderExcluir
  2. A relação entre um casal é super difícil Amiga. Ele tende a esquecer que ela é regida pela emotividade, pelos ciclos lunares e, também, pela influência de hormônios como o estrogênio e a progesterona. Ela acaba esquecendo que ele é altamente influenciável pela racionalidade, praticidade e, naturalmente, que sofre o domínio infernal da testosterona nas suas resoluções. Tudo deve ser medido com amor e bom senso. Imaginar uma balança onde podemos colocar de um lado os "prós" e do outro os "contras" de uma relação é uma brincadeira interessante prá começar a descobrir a saúde de um relacionamento.

    =)

    ResponderExcluir
  3. Complementando ... http://ediceiasouza.blogspot.com/2009/08/mudar-de-vida.html

    Beijos,

    Edicéia

    ResponderExcluir
  4. Oi Regiane, mudança é um tema bem interessante que tem a ver com algo que os budistas conhecem bem: impermanência. Na vida, TUDO é impermanente e se a gente não sabe se desapegar, sofre muito. Escrevi sobre isso tb no meu blog (http://devoltapracasa.wordpress.com/2010/03/12/a-impermanencia-e-o-desapego/), passa lá. Em 2010 mudei muitas coisas que me faziam sofrer e fico feliz por isso. Sempre tive medo de mudanças mas estou aprendendo a fluir com elas. Grande abraço.

    ResponderExcluir
  5. Regiane,

    Mudança não é fácil. No ano passado tomei uma decisão muito difícil. Eu e minha família (marido e filha de 6 anos) nos mudamos para outro estado em busca de qualidade de vida. Saímos do RJ e fomos para o interior de SP. Foi um período muito complicado. Chegamos num lugar com cultura diferente, trabalho diferente, escola diferente, sem colegas, sem amigos e sem família. Foi como começar de novo, só que sozinhos. O bom foi que ficamos mais unidos. Ainda é difícil, mas as coisas estão melhorando...

    ResponderExcluir